O evento de inauguração da nova biblioteca do escritório reuniu muitos colaboradores, na noite do dia 13 de novembro. Por iniciativa do Dr. Paulo Martins, o espaço recebeu o nome de Biblioteca Liliana Veiga de Rose, em homenagem a Doutora que, juntamente com Dr. Marco Túlio de Rose, fundou o escritório em agosto de 1977.

Dr. Paulo Martins destacou a importância da Dra. Liliana para o escritório, desde a sua fundação até os dias de hoje.

Aprendemos muito contigo, não só no Direito, mas, principalmente, na questão de caráter e honestidade. Convivemos contigo e sentimos muito a tua ausência depois que saíste da linha de frente, por uma questão pessoal, perdendo esse convívio diário. Então, quando finalmente a gente conseguiu reformar o escritório e arrumar essa nova biblioteca, foi unânime a decisão de colocar o teu nome, como uma maneira de tê-la mais presente conosco no nosso dia a dia. No geral, as pessoas dizem que a biblioteca é o cérebro do escritório, porque reúne conhecimento científico. Eu acho que essa nossa biblioteca, a partir de agora, por ter o teu nome, vai ser a alma do escritório, porque terá a paixão que tu tens pelas causas que defendes, por tudo aquilo que emprestas da tua vida, sempre com determinação, com paixão, na defesa do Direito, na defesa dos excluídos, pela diversidade”.

A homenageada e seu esposo, Dr. Marco Túlio, relembraram a primeira estante de livros do escritório. “Eram tábuas de madeiras e tijolos, mas ela ocupava uma parede inteira, maior do que qualquer móvel do escritório, mas a gente tinha o básico, que eram os livros”, recordou a advogada. “Lembro que eu carreguei os tijolos”, acrescentou Marco Túlio.

Em sua fala de agradecimento, Dra. Liliana ressaltou a importância da leitura para os estudantes e os profissionais da área do Direito. “A Literatura é boa para concentrar na causa do Direito, que é humana, são pessoas. Eu estudei em uma época que a gente lutava muito pela liberdade de expressão, e, quando veio a democracia, achei que o conhecimento iria vir junto, mas o Direito foi mais para o lado da ciência exata do que para as humanas. Eu acho que, hoje, o estudante de Direito tem a obrigação de resgatar a parte do Direito que foi cortada com a ditadura militar. Então, mais do que nunca, nós não podemos ser os burocratas do Direito.  É o que eu desejo que vocês almejem.”

Em seguida, Dra. Liliana e o Dr. Paulo descerraram a placa da nova biblioteca, que foi apresentada pelo Dr. Marco Túlio, com ajuda da secretária Carine de Araújo. “A biblioteca agora está informatizada, com 23 ramos do conhecimento contemplados, com rubricas, sendo que alguns aglutinam outras disciplinas. Aqui vocês encontram muita coisa interessante para ler, independente do conhecimento técnico específico. Nós temos, hoje, 1971 títulos, além de outras obras. Temos os do Mazo, que são 30 volumes, os do Miranda, Cândido de Miranda, que são 50 volumes. Se for pensar pelo número, acredito que tenha ali perto dos 2.500 livros, o que é uma condição bastante boa”, explica o advogado.

Após demonstração de como as pesquisas foram facilitadas na nova biblioteca – tanto com os livros físicos quanto com o material on line -, Dr. Marco Túlio entregou um buquê de flores à esposa. Um coquetel encerrou a homenagem.