Novembro Azul: mês de combate ao câncer de próstata” foi o título e o conteúdo da palestra virtual que o oncologista  Dr. Eduardo Luiz Kunst, diretor da Artha – Instituto de Oncologia Clínica, proferiu para um auditório repleto de integrantes do escritório, repetindo o sucesso de audiência que teve a palestra anterior, em 25 de novembro, sobre o câncer de mama.

O encontro “on line” buscou conscientizar sobre a importância da atenção à saúde masculina, algo que, conforme o palestrante, culturalmente costuma ser deixado em segundo plano. O câncer de próstata é a segunda principal causa de morte no Brasil. O oncologista exemplificou que as mulheres vão ao médico com mais frequência, o que permite um diagnóstico mais precoce, enquanto os homens evitam as consultas, algo que o oncologista classificou como resultado da “masculinidade tóxica”. Soma-se a isto o pré-conceito em relação ao exame de toque, os sintomas subjetivos ligados ao canal urinário ou não – que costumam ser ignorados – e a ausência de um “check-up” completo periódico, o que ocasiona que sejam os diagnósticos de câncer de próstata descobertos tardiamente, tornando a cura mais difícil.

A busca por informações, a atenção aos fatores de risco (idade e etnia) e a visita ao consultório médico, alertou Kunst, podem prevenir que a doença se alastre. A realização de exames de sangue é complementar ao exame de toque e encarar tais procedimentos com naturalidade permite maior qualidade de vida. “Quem procura acha, e se algum tumor for encontrado ainda pequeno, teremos condições de fazer o tratamento, permitindo sequelas menores. Quanto mais precoce mais chance de cura”, enfatizou o médico.

O encontro foi realizado pela ferramenta Microsoft Teams, por meio do qual os colaboradores puderam esclarecer dúvidas e debater o tema.