Em tramitação no Tribunal Superior do Trabalho desde 2017, a Primeira Turma do TST afastou a condição de financiária de uma assistente administrativa da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Médicos de Porto Alegre Ltda – Unicred Porto Alegre. A defesa, estruturada pelo doutor Vinicius Lima Marques, titular de Sociedade de Advocacia associada do De Rose, Martins, Marques e Vione – Advogados Associados, venceu a ação com base na jurisprudência de que empregados de cooperativa de crédito não se equiparam ao bancário ou ao financiário, confirmando uma orientação dos dois Escritórios, já tradicional, que infelizmente não vem sendo acatada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região.

A Unicred havia sido condenada a conceder à funcionária a jornada especial e as vantagens previstas nas normas coletivas da categoria dos financiários. Em recurso, a cooperativa sustentou que, embora exerça funções semelhantes às instituições financeiras, existem diferenças estruturais e operacionais entre as duas. Além disso, de acordo com Orientação Jurisprudencial 379 da Subseção 1 Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1), não há previsão em lei para a equiparação. A decisão, no entanto, foi mantida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região RS, concluindo o processo em favor da Unicred Porto Alegre.