Você é administrador, dirigente ou titular de uma pessoa jurídica que é prejudicada por uma informação falsa ou deturpada, ou mesmo por um protesto indevido de título de crédito?

No entanto, não consegue comprovar um prejuízo concreto pela divulgação, que lhe permita pedir perdas e danos materiais contra o causador do malefício?

Nada então se pode fazer. Certo ou errado?

Errado. A Jurisprudência dos Tribunais admite indenização de danos extrapatrimoniais causados à pessoa jurídica. Tais danos, que no caso de pessoas físicas são conhecidos vulgarmente como danos morais, dependem de se tratar de uma circunstância excepcional (fora das decepções comuns da vida em sociedade) e do contratempo causado ser daqueles que são evidenciáveis por si só (como é o caso do protesto de um título, que mesmo não implicando em restrição creditícia imediata, abala o conceito operacional do protestado para quem lê a notícia de sua efetivação).

Se você estiver, através de uma pessoa jurídica, numa situação dessas, procure um advogado, que ele saberá encaminhar seu pleito indenizatório.