Muitas empresas entendem que devam estabelecer regras transitórias, regendo sua relação com seus colaboradores empregados, mediante regulamentos escritos e detalhados. Tal comportamento às vezes é até mesmo recomendado por técnicas de gestão empresarial, como subproduto de governança corporativa, no que diz respeito à normalização.

Convém, no entanto, ter cuidado, pois uma regra de empresa, se não tiver com clareza escrito que é temporária, e mesmo, em alguns casos, se implica em acréscimo de natureza salarial, incorpora ao contrato de trabalho do colaborador empregado e não pode mais ser retirada.

A redação ou a interpretação de uma norma desta natureza merece cuidados profissionais. Quem estiver nesta situação, procure um advogado especializado. Ele saberá como fazer.